anchor

Gente daqui, Gente dali

 

 

 

 

 

 

Lígia Fernandes / Portugal / Desenho

O mundo cabe inteiro no meu bairro. Este lugar que sempre foi para aqueles que são de fora, que acolheu os mouros, os portugueses de outras regiões e, agora, pessoas de todos os continentes e etnias. De manhã, gosto de me sentar na esplanada a ver passar as rotinas deste lugar que é ponto de encontro de tantas formas de viver.

No projecto ‘Gente daqui, gente dali’ procuro conhecer e aproximar estas pessoas que passam por mim todos os dias. São retratos, feitos ao vivo, de quem nasceu fora de Portugal e hoje faz parte da paisagem humana do eixo Martim Moniz-Alameda, onde se situam os bairros mais multiculturais da cidade. Do desenho parte a conversa, a partilha de estórias, e cria-se um breve laço de intimidade. Trata-se assim de um trabalho colectivo, uma pequena homenagem àqueles que trazem o mundo à cidade de Lisboa.

Concepção e Criação Artística: Lígia Fernandes
Participação de 44 emigrantes moradores e trabalhadores do eixo Almirante Reis.
Agradecimento: Inovinter, Fórum Refúgio

 

Bio

Lígia Fernandes 

Nasce em 1985, em Setúbal. Apesar de ter crescido a desenhar, regressou tarde ao desenho. Talvez por isso esse regresso tenha acontecido com tanta urgência. Depois de vários anos a trabalhar em gestão, começa a frequentar cursos de desenho e em 2015 matricula-se finalmente na licenciatura em Desenho da FBAUL. Desde então tem participado em diferentes projectos, residências, exposições e intercâmbios. Gosta de desenhar o que vê, porque vê pelo desenho. O projecto parte da empatia e a obra passa a ser então um espaço onde cabe a partilha, o diálogo e a reflexão. Do tempo que esteve longe cresceu-lhe a ideia de casa: uma procura da identidade nos lugares e nas pessoas, o processo de recolha, as memórias individuais e colectivas, uma estória que se constrói e se altera com o passar do tempo. Há, em todo os seu trabalho, a noção constante de ser portuguesa.

anchor